Início » Notícias » E a dança continua no “Quarta que Dança 2012” (BA)

E a dança continua no “Quarta que Dança 2012” (BA)

Sete espetáculos, duas intervenções urbanas, duas danças de rua e quatro trabalhos em processo de criação compõem a programação da 14ª edição do Quarta que Dança, evento que promove apresentações todas as quartas-feiras até 12/set em Salvador e mais oito cidades: Alagoinhas, Bom Jesus da Lapa, Itabuna, Itacaré, Poções, Santa Maria da Vitória, Senhor do Bonfim e Vitória da Conquista. Cada trabalho será encenado três vezes, em locais diferentes, contabilizando 45 sessões de uma mostra que representa um panorama contemporâneo da diversidade da produção em dança na Bahia.

Na data de estreia aconteceu uma apresentação no interior: a dança de rua Síntese, do Grupo de Performances Street Vibe, de Vitória da Conquista, que ocupou a Praça Nove de Novembro, no seu município de origem, às 17h30. Na capital, a abertura oficial do projeto começou com a intervenção urbana Colapso, de Ariana Andrade, no entorno do Espaço Cultural Alagados, às 18h, seguida do espetáculo Xou, de Vanessa Mello, no palco do centro cultural localizado no bairro do Uruguai, às 19h.

Ao longo das 13 semanas, em Salvador, os espetáculos e trabalhos em processo de criação estão escalados para a Sala do Coro do Teatro Castro Alves, Espaço Xisto Bahia, Centro Cultural Plataforma, Cine-Teatro Solar Boa Vista, além do Espaço Cultural Alagados, que foi acrescentado ao projeto pela primeira vez, fazendo o Quarta que Dança chegar a diferentes territórios dentro da própria cidade. Estes espaços culturais públicos integram a rede de parceiros, através do apoio da Diretoria de Espaços Culturais (Sudecult/SecultBA), que se completa com a participação do Centro de Cultura Adonias Filho (Itabuna) e o Centro de Cultura de Alagoinhas. Há ainda os espaços privados que recebem as encenações em outras cidades. Em todos estes locais, o valor de ingressos é de R$2 (inteira) e R$1 (meia). Já as performances ao ar livre – intervenções urbanas e danças de rua – são gratuitas e acontecem em ruas, praças, praias e até na estação de trem dos municípios.

Leia mais:  Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) recebe material para a sua AgenDançabril: só até amanhã!

Os 15 trabalhos que compõem o Quarta que Dança foram selecionados dentre 91 inscritos em edital público, promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). O interior do estado representou 13% dos inscritos (12 dos 91 contabilizados) e 26% dos selecionados (4 dos 15 trabalhos), com dois espetáculos (oriundos de Itacaré e Juazeiro), uma dança de rua (Vitória da Conquista) e um trabalho em processo de criação (Candeias).

O aporte financeiro para os prêmios do edital é de R$106 mil, com cachê total de R$8 mil para cada espetáculo, R$6 mil para intervenções urbanas e danças de rua, e R$6,5 mil para os trabalhos em processo de criação. Os proponentes de trabalhos em processo de criação também incluem em suas propostas um profissional para acompanhar a construção do projeto e participar de suas apresentações públicas, que serão seguidas de debates acerca dos resultados. Isto vem garantir uma maior qualificação no desenvolvimento das propostas, ao mesmo tempo que amplia as possibilidades de troca geradas pelo Quarta que Dança.

O Quarta que Dança surgiu em 1998 e, ao longo destes anos, proporcionou a montagem de mais de 190 apresentações de variados grupos e propostas artísticas, consolidando-se como um dos principais mecanismos de promoção da dança da Bahia. Desde 2007, as inscrições para integrar a programação do projeto passaram a ser feitas exclusivamente via edital, inicialmente em duas categorias – além dos tradicionais espetáculos de dança, deu-se espaço para os trabalhos em processo de criação, com objetivo de estimular o debate em torno dos processos construtivos. No ano seguinte (2008), outras duas categorias foram criadas: intervenção urbana e dança de rua, ampliando as possibilidades estéticas abrigadas e levando o Quarta que Dança também para o ambiente urbano.

Comentários