Início » Notícias » Estreias no Rio de Janeiro e em Salvador (BA): "Primevo Gesto" + "Cabaça"

Estreias no Rio de Janeiro e em Salvador (BA): "Primevo Gesto" + "Cabaça"

 

No Rio de Janeiro, hoje (15/ago) é dia de estreia de Primevo Gesto, espetáculo de dança afro-contemporânea dirigido por Aline Valentim, que ganha sessões no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro até domingo (18/ago) (ver flyer acima). O espetáculo, realizado pelo Rio Maracatu, foi contemplado pelo Fundo de Apoio à Dança (FADA).

Primevo Gesto parte de movimentações enraizadas nas danças de matriz africana. Conforme o texto de divulgação que nos foi enviado, “É uma dança contemporânea nascida da lama, que encarna a riqueza expressiva da dança afro rompendo com exotismos e folclorizações”.

O espetáculo conta com a participação de Nuno Barreto, bailarino caboverdiano convidado especialmente para o trabalho. Primevo Gesto ainda apresenta uma trilha sonora realizada ao vivo, a partir de diversos instrumentos africanos e um violoncelo, além de projeções que dialogam com as coreografias.

Na sequência da breve temporada no Centro Coreográfico, o espetáculo terá mais duas apresentações no Parque das Ruínas, em agosto, e outras duas no Teatro Carlos Gomes, em setembro. Acompanhe mais notícias no site da Aline ou na página do espetáculo no Facebook.

Em Salvador, o GDC – Grupo de Dança Contemporânea apresenta Cabaça numa temporada de apresentações distribuídas entre o Teatro do Movimento da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e o Teatro do Göethe Institut (ICBA) a partir de amanhã (16/ago) (ver flyer no final desta postagem). O desejo de criar o espetáculo nasceu no Grupo de Pesquisa Corponectivos em Dança (Programa de Pós-Graduação em Dança / UFBA).

Leia mais:  Exposição Quarta que Dança 2011 em shopping de Salvador (BA) até 30/abr

A cabaça, utilizada no berimbau brasileiro, é o fruto de uma árvore chamada calabaça, cuia ou cueira. Para diversos grupos culturais, a cabaça é considerada um elemento dotado de poder especial. Inteiras ou cortadas em partes, ocas, preenchidas ou envoltas em palhas e contas, lisas ou decoradas com incisões, constituem objetos prenhes de significados ritualísticos que só podem ser integralmente compartilhados entre iniciad@s que conhecem “o fundo da cabaça”.

Cabaça, o espetáculo, aproveita a oportunidade e presta uma homenagem ao músico suíco Walter Smetak, que trabalhou com cabaças para a criação de instrumentos. 2013 é o ano da celebração dos 100 anos de vida-obra do músico.

Comentários