Início » Notícias » Dança para conferir em 5 estados brasileiros

Dança para conferir em 5 estados brasileiros

Thaís Kuri em “Movimento da Palavra” / foto: divulgação

Dez bibliotecas públicas do Distrito Federal recebem sessões gratuitas da performance Movimento da Palavra, de Thaís Kuri, até o dia 8 (ver foto acima). Concebido como uma série de “traduções de poemas para a linguagem corporal”, o projeto compõe-se de sessões de 30 minutos, seguidas de uma oficina-jogo de experimentação cênica.

Conforme explica Thaís, a cada encontro exploram-se ideias presentes nos textos selecionados – de Nicolas Behr, Arnaldo Antunes e Clarice Lispector – através de movimentos do corpo. O objetivo, segundo ela, é “estimular a curiosidade de quem assiste e o fazer passear através das nuances, sonoridades e ritmos de um texto literário”.

As plateias das leituras performáticas promovidas pelo projeto contarão com a presença de alun@s da Rede Pública de Educação – em especial, crianças e adolescentes de 11 a 17 anos de idade. Para Thaís, Movimento da Palavra constitui-se enquanto uma ferramenta de preservação e disponibilização de acervos históricos e culturais, que incentiva as comunidades a se apropriar das bibliotecas do Distrito Federal.

Realizadas em espaços de encontro e de literatura, as sessões de performance seguida de oficina devem atender mais de 400 alun@s, além do público espontâneo. Depois de passagens pelas bibliotecas públicas de Ceilândia, Taguatinga, Riacho Fundo e São Sebastião, Movimento da Palavra segue com novos encontros nos próximos dias.

Confira abaixo as “próximas paradas” da performance:

  • 4/abr (seg): Biblioteca Pública da Cidade Estrutural / às 10h e 11h
  • 5/abr (ter): Biblioteca Pública de Sobradinho / às 16h e 17h
  • 6/abr (qua): Biblioteca Pública Vó Philomena, do Núcleo Bandeirante / às 9h e 10h
  • 7/abr (qui): Biblioteca Pública Monteiro Lobato, de Santa Maria Norte / às 16h e 17h // Biblioteca Pública do Gama / às 19h e 20h
  • 8/abr (sex): Biblioteca Pública Carlos Drummond de Andrade, de Santa Maria Sul / às 9h e 10h
“O Banho”, de Marta Soares / foto: João Caldas

Depois da temporada de Vestígioso projeto de ocupação da Oficina Cultural Oswald de Andrade (SP) com trabalhos de Marta Soares apresenta O Banho (ver foto acima)Definida pela artista como “um memorial de beleza e cura para a mulher”, a instalação coreográfica ganha sessões até 16/abr.

Composto de projeções de vídeos, uma instalação sonora de Lívio Tragtenberg e a performance de Marta, imersa numa banheira de louça com capacidade de 100 litros, O Banho dialoga com imagens de mulheres histéricas fotografadas pelo médico e cientista francês Jean-Martin Charcot no século XIX, além da história de uma mulher da elite paulistana que ficou internada por mais de 40 anos em sua própria casa (na Bela Vista, hoje tombada pelo Patrimônio Histórico) após um diagnóstico de doença mental.

Contemplado com o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) em 2004, O Banho tem sessões gratuitas de quinta a sábado, sempre às 20h, com classificação indicativa 12 anos. As/Os interessad@s devem retirar ingressos com meia-hora de antecedência de cada sessão.

A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo (SP).

Ekilíbrio Cia. de Dança em “Fluxidade” / foto: Lohá Loreta

Em Juiz de Fora (MG), a Ekilíbrio Cia. de Dança estreia Fluxidade, com sessões gratuitas de hoje até 9/abr (ver foto acima). O espetáculo de dança-teatro se debruça sobre o trânsito de adolescentes em espaços urbanos contemporâneos.

Abaixo, confira um vídeo de divulgação do trabalho:

Ao longo de um ano de pesquisa, 4 intérpretes – Herbert Hischter, Isabela Carletti, Jéssica Melato e Tatiana Oliveira – acompanhad@s pela diretora Christine Sílmor, observaram movimentos de transeuntes, compartilharam sua experiência como arte-educador@s e acessaram suas próprias memórias de adolescência. O processo criativo da companhia contou com a colaboração de Raíssa Ralola (redatora de ctrl+alt+dança).

Leia mais:  "Essas Associações": projeto de artista britânico em temporada no Rio de Janeiro busca participantes

As apresentações de Fluxidade acontecerão em dois locais de Juiz de Fora:

  • Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM) – Av. Getúlio Vargas, 200 – Centro // 1 a 3/abr (sex, sáb e dom), às 19h30
  • Praça CEU – Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 5.899 – Benfica // 8 e 9/abr (sex e sáb), às 18h30
Priscila Maia é uma das artistas participantes da 2a. edição do programa luso-brasileiro Face a Face / foto: Mariana Bley

Amanhã e domingo (2 e 3/abr), o Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas (RJ) abriga uma programação exclusiva de artes performativas promovida pelo programa luso-brasileiro Face a Face. Em sua 2a. edição, o evento busca expor ao público – frente a frente – materiais, discursos e corpos com os quais manifestações performativas operam.

Além de propor uma continuidade carioca à sua primeira edição (realizada em 2015 na cidade de Brasília (DF)), no Parque das Ruínas o evento reúne criador@s independentes brasileir@s e portugues@s radicad@s no Rio de Janeiro com o objetivo de elaborar reflexões sobre contextos, condições e possibilidades para o exercício da criação artística na atualidade. Serão apresentadas obras coreográficas e teatrais, instalações, vídeo, performance musical e debate a partir do olhar de 9 artistas: Raquel André, Isabel Zua, Flávia Meireles, Priscila Maia (ver foto acima), Tiago Cadete, Lígia Soares, Clara Lee Lundberg, Fabiano Araruna e Mariana Pimentel.

A 2a. edição de Face a Face foi concebida através da parceria entre Lígia Soares e Mariana Pimentel, com produção de Dos Voos (Brasil) e da associação cultural Máquina Agradável (Portugal). O projeto foi contemplado através do edital Viva o Talento! (Prefeitura do Rio / Secretaria Municipal de Cultura (SMC-RJ)).

Para conferir mais detalhes sobre a programação do evento (com entrada franca), visite a página de Face a Face no Facebook. O Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas fica na Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa – Rio de Janeiro (RJ).

“Na Reta de 4 Corpos”, com o Grupo Contemporâneo de Dança Livre / foto: divulgação

Na Reta de 4 Corpos (ver foto acima), performance do Grupo Contemporâneo de Dança Livre, faz uma passagem pelo Festival de Curitiba 2016 (PR) nos próximos dias. Elaborado como um cortejo urbano, o trabalho consiste num deslocamento retilíneo de 300 metros em movimento contínuo, ao longo do qual imagens aparecem e se dissolvem em meio à paisagem da cidade.

O grupo mineiro surgiu em 2004, a partir da iniciativa da artista Socorro Dias, com o objetivo de trabalhar com técnicas diversas e manifestações da dança a partir de uma noção de “dança livre”. De 2010 em diante, a dança contemporânea e as intervenções urbanas têm se tornado uma constante nas propostas do grupo.

Depois da apresentação de ontem (31/mar) na Praça Santos Andrade (localizada no Centro de Curitiba), Na Reta de 4 Corpos acontecerá nos seguintes locais e horários:

  • 1/abr (hoje): Terminal de Ônibus Pinheirinho / Av. Winston Churchill – Capão Raso, às 15h
  • 2/abr (sáb): Praça General Osório – Centro, às 10h30
  • 3/abr (dom): Ruínas São Francisco / Praça João Cândido – Bairro São Francisco, no Centro Histórico de Curitiba, às 15h

 

[*] Esta postagem contou com a colaboração de Gabriela Alcofra.

 

 

Comentários