Início » Notícias » “Borboleta Amarela”: crowdfunding para espetáculo

“Borboleta Amarela”: crowdfunding para espetáculo

Fabiana Eramo em "Borboleta Amarela" / foto: divulgação
Fabiana Eramo em “Borboleta Amarela” / foto: divulgação

A artista Fabiana Eramo aposta no financiamento coletivo (chamado de crowdfunding, em inglês) para realizar seu projeto de dança solo, Borboleta Amarela. O trabalho, que conta com a direção de Juliana Manhães, ganha apresentação única em 25/mai (qua, às 20h), no SESC Tijuca (R. Barão de Mesquita, 539 – Tijuca – Rio de Janeiro).

Borboleta Amarela é uma pesquisa em curso desde 2012. Conforme relata Fabiana, ela e Juliana se conheceram numa aula de Desconstrução de Danças Brasileiras – a partir da qual começaram a colaborar numa investigação do universo feminino, integrando linguagens corporais da dança afro e das danças orientais (cigana e muçulmana), além das experiências e memórias delas mesmas.

O trânsito entre tais universos distintos promoveu a percepção de que o feminino e a figura da mulher centralizavam os impulsos e desejos da pesquisa. A busca pela “deusa que existe em cada mulher” se tornou o norte para o desenvolvimento da dramaturgia do solo de dança.

A pesquisa agrega a experiência de Fabiana na École des Sables (Escola de Areia, em tradução livre), localizada no Senegal, na qual pôde se aprofundar em elementos da dança afro e da dança dos orixás. Borboleta Amarela também abarca a vivência da artista junto ao samba carioca, ao carnaval brasileiro e aos rituais do candomblé.

mix de referências compõe um espetáculo que propõe um diálogo entre tradição e contemporaneidade, sagrado e profano – a partir de um corpo nômade, sempre em busca de transformação. A borboleta (símbolo dessa mesma transformação) se alia ao arquétipo de Oxum (orixá que reina sobre a riqueza, a maternidade e a beleza) para explorar corporeidades de uma dança afro-brasileira que carrega o poder feminino e as lutas das mulheres pelo mundo afora.

Leia mais:  Só amanhã: André Bern apresenta "Passificadora" em congresso internacional sobre Estudos Queer

O financiamento coletivo está hospedado na plataforma Benfeitoria e funciona em esquema de “tudo ou nada”; ou seja, se o projeto não arrecadar a meta de R$5.000 até 6/jun (seg), o dinheiro volta para quem tiver efetuado alguma contribuição. O financiamento propõe recompensas variadas para contribuições entre R$15 e R$ 1.000, que incluem desde agradecimentos e camisetas a ingressos e oficinas de dança.

 

Comentários