Início » Notícias » eixo do fora #15: Looove – música, amor e palhaçada

eixo do fora #15: Looove – música, amor e palhaçada

foto: Jorge Mariano / Clix
Fernanda Paixão em cena de “Lóve”, peça dirigida por Karla Concá / foto: Jorge Mariano/Clix

eixo do fora #15: Looove – música, amor e palhaçada [*], por Dally Schwarz

A partir de algumas músicas que eu escolhi sobre o amor (se você clicar nos títulos delas, pode ouvi-las), convidei a palhaça Valquíria Mascarenhas – criação de Fernanda Paixão, atriz e educadora carioca – para um bate-papo ao som de mulheres que amam e cantam. Durante o mês de maio, elas (Valquíria e Fernanda) vêm se apresentando nas arenas do Rio de Janeiro com o espetáculo Lóve.

O trabalho estreou em 2014 e conta com direção de Karla Concá, também palhaça e fundadora do grupo As Marias da Graça. De lá pra cá, Lóve cresceu e foi ganhando novos contornos, assim como novas parcerias – como é o caso da produção da Pagu Produções, além da colaboração de outros artistas que operam luz, som e fazem filmagem. Apesar do trabalho ser um solo, tem muito artista trabalhando junto!

Interessada no universo de Valquíria Mascarenhas e sabendo que ela gosta de cantar, de músicas de fossa e um ambiente de sedução, fiz uma set list de amor para ouvirmos juntas, sentadas em uma taberna situada no bairro da Glória. Dividimos uma fatia de torta de chocolate trufado, com água gasosa e um pequenino café expresso.

Valquíria chegou de batom e camisa de poá, sentou-se à mesa, sacou seu celular e começamos nosso ‘correio do amor’, nome que ela mesma inventou: “Eu recebi essas músicas de você como um presente”. E ainda falou sobre o amor:

Valquíria me conta sobre a espera – que ela sempre esteve e está à espera de… E sobre essa espera, Fernanda me conta que uma das influências do espetáculo foi a obra “Fragmentos de um Discurso Amoroso”, de Roland Barthes; em especial, o capítulo da Espera.

ESPERA. Tumulto de angústia suscitado pela espera do ser amado, no decorrer de mínimos atrasos (encontros, telefonemas, cartas, voltas) — trecho de “Fragmentos de um Discurso Amoroso”, de Roland Barthes

Seguimos nossa conversa, então, com a proposta de ouvir algumas músicas com temas de amor, que eu selecionei. De forma bem diversa, escolhi algumas cantoras que expressam o amor, e que vivem e falam sobre ele de maneiras distintas. Elas são bem singulares – cada uma com suas particularidades – e as trouxe com o intuito de promover um diálogo conosco.

Leia mais:  O que se pode ver pelas costas?

A primeira é Lauryn Hill e a linda versão de “Can’t Take My Eyes Off You”, que muito me encanta pelo ritmo e interpretação da cantora. Valquíria também curte e logo se lembra do amor universal. De certa forma, Lauryn sempre foi uma artista muito conectada com sua espiritualidade e com o amor universal. Com certeza, é por isso que ela consegue despertar essa sensação em quem ouve a música.

Mudando completamente de frequência, ouvimos “Love is a Losing Game”, na voz de Amy Winehouse. Melancolia, bebedeira, drogas sintonizadas com amor e música. Amy se entrega ao amor, assim como à música, e para mim faz alguma conexão com momentos em que Valquíria bebe e se entrega a esse prazer mesmo estando só.

Pegando carona nessa energia da raiva, ou de algo que move com muita força, eu trago outra energia – do sexo, da força feminina – na voz de MC Carol, conterrânea de Niterói, com suas palavras fortes sobre o que é o amor nessa dimensão da carne e do desejo na música “FDP Eu Te Amo”. E jogo essa bola para Valquíria:

Ela ainda trouxe para nosso bate-papo as seguintes músicas: Etta Jones cantando “Nature Boy”, o Trio Los Panchos com “Quizás, Quizás, Quizás”, além de uma versão da mesma música feita pela cantora Lupe, que curto muito.

Para terminar esta postagem, fica o convite para assistir o espetáculo Lóve, que segue em circulação pela cidade:

  • 27 e 28/mai (às 19h), na Arena Carioca Chacrinha /// R. Soldado Elizeu Hipólito, 138 – Guaratiba
  • 8 e 9/jun (às 15h), na Areninha Carioca Hermeto Pascoal /// Pça. 1º de Maio, s/nº – Bangu

 

[*] Este texto integra a série eixo do fora, desenvolvida por Dally Schwarz para ctrl+alt+dança.

 

Comentários