Início » Notícias » 2 danças para o Dia d@s Namorad@s (parte 2)

2 danças para o Dia d@s Namorad@s (parte 2)

Com entrada gratuita, São Paulo recebe apresentações de Marta Soares e da Companhia Urbana de Dança, aquecendo o frio do outono, inspirando os encontros de namorad@s (e amig@s!) e abrindo o leque da diversidade da dança. Vamos conferir!

"Les Poupées", de Marta Soares / foto: Gil Grossi
“Les Poupées”, de Marta Soares / foto: Gil Grossi

Na quinta-feira (9/jun) começou a última temporada de apresentações da Ocupação Marta Soares. O projeto de revisitação dos trabalhos da artista vem acontecendo desde março na Oficina Cultural Oswald de Andrade e, nesta etapa final, apresenta Les Poupées (ver foto acima)Diferentemente dos trabalhos apresentados anteriormente, o espetáculo será o único a ocupar o palco da Oficina.

Depois de uma temporada de 9 anos fora do Brasil – durante a qual Marta viveu nas cidades de Tóquio, Londres e Nova York – Les Poupées foi a primeira criação da artista no seu retorno ao país, em 1997. A obra fotográfica surrealista de Hans Bellmer foi o ponto de partida para o solo de Marta, que explora categorias antagônicas como dentro/fora, morto/vivo, figura/fundo – da fragmentação do corpo e a dissolução de seus limites para pensar sobre o sujeito e sua condição na contemporaneidade.

Les Poupées encerra a Ocupação que celebra 20 anos de carreira da artista, pontuando um retorno do corpo à dança, revelado através da ordem escolhida para as apresentações. Marta explica que, com o passar do tempo, sua obra foi se tornando mais performática, instalativa e plástica; assim, retomar essa obra é também recuperar o movimento no seu próprio corpo:

Nesta mostra é como se eu estivesse reconstruindo meu corpo de volta à dança, que tem sido um lugar onde eu restrinjo o meu corpo. No Les Poupées estou restrita pelo figurino; n’O Banho, pela banheira; em Vestígios, pela areia; em Deslocamentos, eu restrinjo as intérpretes em roupas. Meu trabalho reflete, através da impossibilidade de dançar, entre outras coisas, a condição social e política na qual cresci e os traumas dessa vivência.

Num período político tão conturbado, a artista comemora a possibilidade de realização dessa Ocupação como um “ato de resistência”. Les Poupées permanece em cartaz até 25/jun (sáb), com sessões de quinta a sábado, sempre às 20h. A entrada é franca e a distribuição de senhas acontece com 30 minutos de antecedência de cada sessão.

Leia mais:  "Deslugares": espetáculo encerra temporada na Sala Renée Gumiel (SP) amanhã (19/mai)

A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo (SP).

Companhia Urbana de Dança em "Nêgo" / foto: Renato Mangolin
Companhia Urbana de Dança em “Nêgo” / foto: Renato Mangolin

Na última quinta-feira (9/jun) também começou a temporada paulista de Nêgo, espetáculo da Companhia Urbana de Dança. Depois de uma circulação pelos Estados Unidos, o grupo aterrisa na terra da garoa por 3 semanas.

Com direção de Sonia Destri, Nêgo dialoga com o cotidiano de jovens negr@s da periferia do Rio de Janeiro, expondo a violência a que são submetid@s e a resiliência que as/os faz sobreviver. No palco, as/os bailarin@s utilizam técnicas de danças urbanas para propor uma nova escrita dessa história – dessa vez, fora das ruas da cidade. O espetáculo apresenta uma cartela de texturas e ideias que compõem a riqueza da diversidade dos movimentos.

Com uma bagagem de 11 anos de atividades, a Companhia Urbana de Dança foi criada no subúrbio do Rio de Janeiro e é reconhecida pela força das histórias de suas/seus integrantes, assim como por suas habilidades corporais e vigor físico. Co-fundada pela diretora Sonia Destri, em parceria com o bailarino Tiago Sousa (ver foto acima), a companhia foi considerada uma das 10 melhores do ano de 2011 pelo jornal The New York Times, e uma das 6 melhores em 2014 (pela mesma publicação).

Nêgo ganha uma sessão hoje (12/jun), às 19h, na Galeria Olido (Av. São João, 473 – Centro), de onde segue para apresentações no Teatro Municipal da Mooca – Arthur Azevedo (Av. Paes de Barros, 955 – Mooca), de 17 a 19/jun (sex e sáb, às 21h; e dom, às 19h). Todas as sessões são gratuitas.

 

Comentários