Início » Notícias » Seis Anos Depois: Giselda Fernandes

Seis Anos Depois: Giselda Fernandes

Giselda Fernandes / foto: Julius Mack
Giselda Fernandes / foto: Julius Mack

Seis Anos Depois é uma série de conversas conduzidas por André Bern com artistas que foram entrevistad@s por ele durante o ano de 2010: Esther Weitzman, Paulo Marques, Morena Paiva, Lígia Tourinho e Giselda Fernandes. A última a voltar a conversar com André foi Giselda, que também ministrou uma oficina gratuita no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro como parte do reencontro (confira as fotos de Julius Mack no final desta postagem).

Giselda Fernandes é bailarina e coreógrafa de Os Dois Companhia de Dança. Desde 2001, desenvolve o conceito de objeto-partner para denominar o uso de objetos cotidianos como parceiros em suas criações coreográficas. Sua companhia possui um repertório de mais de dez trabalhos, reconhecidos através de prêmios e editais públicos (como o Prêmio FUNARTE Artes na Rua 2009 e o Prêmio FUNARTE Klauss Vianna 2006), com apresentações em espaços culturais e eventos de destaque, tais como o Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, o Espaço SESC, o Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro, o Festival Panorama e o Festival Dança em Trânsito. Além disso, Giselda é diretora artística do braço carioca do evento internacional Global Water Dances, focado nas relações entre dança e meio-ambiente.

Giselda Fernandes / foto: Julius Mack
foto: Julius Mack

Na conversa, Giselda passeia por suas criações solo e para Os Dois Companhia de Dança, na qual atua como bailarina e coreógrafa. Segundo a artista, há toda uma dinâmica distinta no trabalho com grupos:

Quando estou em grupo, sou permissiva, dou muito espaço porque acho que isso é criar em conjunto… mas, às vezes, não dá porque vira obra do outro, o que o bailarino precisa fazer. Não dá pra ser generosa o tempo todo. Quando estou sozinha, sou mais fiel às minhas ideias.

Quando o sucesso de Sobre Cisnes, criação de 2016, é o assunto da vez, Giselda celebra o acolhimento do público: “(…) tem alguma coisa que estabeleço ali com as pessoas. O que me surpreende é que é um público variado, muitos estudantes”. O clima de comemoração permanece, inclusive, quando ela se refere à jornada dupla de Sobre Cisnes e Jogo de Damas – Giselda é bailarina do espetáculo de Esther Weitzman, que segue em cartaz desde sua estreia em 2013:

Leia mais:  Reage, Artista! (RJ) promove encontro em busca de diálogo com o novo Secretário de Cultura
Estou muito feliz de poder dançar. Não sou mais nenhuma menininha, e participo de dois espetáculos (…) Quero é poder aproveitar porque isso é uma dádiva! Minha medalha no final do ano vai ser fazer os dois sempre.

Logo após a oficina que Giselda ministrou no Centro Coreográfico (RJ) (em 11/mai) – intitulada “Entre Sacos e Cisnes” – ela elogiou o formato da série Seis Anos Depois, que incluiu, além da entrevista propriamente dita, uma oportunidade de compartilhamento com o público através da oficina: “Esse formato foi muito bacana pra gente, dando a oficina, poder ter contato com essa garotada… ter esse lugar de presença também física, essa troca”.

.

Para baixar gratuitamente o fascículo virtual que contém a entrevista com Giselda, clique aqui. Seis Anos Depois integra o projeto Dança Carioca na Rede – Corpo e Memória, contemplado pelo Programa de Fomento à Cultura Carioca 2015 (Secretaria Municipal de Cultura / Prefeitura do Rio).

 

Comentários